Covid e a nova realidade da rotina do trabalho • Evartel

      Este artigo será mais humanizado e menos técnico do que os outros do nosso site. Já não se pode mais falar em “o novo” corona vírus. Sendo chamado de Covid-19, já estamos há quase dois anos familiarizados com este nome, que infelizmente já deixou de ser uma novidade.

      Quando ouvimos falar disso, tudo começou como tudo começa no Brasil, uma grande piada, cheio de memes, fantasias de Carnaval fazendo brincadeiras e um grande tom de descontração. Em pouquíssimo tempo, o sorriso foi se esvaindo até virar uma expressão constante de preocupação e testa franzida.

      Com o primeiro caso surgindo no Brasil, demos os primeiros passos para nos adaptar a essa nova realidade. Compramos as primeiras máscaras, vimos a ascensão e o esgotamento de estoque do famoso álcool em gel, começamos com medidas de higiene para a nossa segurança que até então eram desconhecidas para um povo tão caloroso quanto o brasileiro, que gosta tanto de contato físico com outras pessoas.

      Os meses foram se passando e a luz no fim do túnel parecia cada vez mais distante. A impressão que todos tivemos era que seria algo temporário, e à medida que o tempo foi se passando, vimos que o fim estava cada vez mais distante. Não tivemos outra escolha se não abraçar essa nova realidade e seguir em frente, da melhor forma que podíamos.

      Os casos que pareciam distantes e isolados foram se aproximando cada vez mais. Essa semana (24/03/2021) batemos a marca de 3 mil mortes em 24 horas, totalizando 300 mil mortes no Brasil. Hoje em dia, as chances são baixíssimas de alguma pessoa não conhecer alguém que infelizmente teve a vida perdida para este vírus.

      Enquanto vemos a recuperação de praticamente todos os outros países do mundo, inclusive alguns que venceram 100% o Covid e aposentaram a máscara (Nova Zelândia), seguimos em frente nestes tempos sombrios. Como dizem: “sou brasileiro e não desisto nunca”. Há algum tempo estamos tirando forças do além, levantando a cabeça e encarando a nova realidade.

      Não há algum aspecto das nossas vidas que não foi diretamente afetado por essa nova realidade. Para não transformar o artigo em um livro, vou focar especificamente no aspecto trabalhista.

      Inicialmente, eram mera recomendação: trabalhar de máscara. Lavar as mãos. Álcool em gel. Manter distância de outros colaboradores. Embora simples, muitas pessoas ainda tinham dificuldade em compreender a magnitude e a importância destas orientações. O tempo passou a as recomendações viraram obrigações. Talvez, se todos as tivéssemos seguido desde o começo, a demissão em massa que ocorreu nos meses seguintes teria sido amenizada.

      Primeiro vieram as demissões, depois a dificuldade das empresas manterem um fluxo de caixa saudável, e consequentemente incontáveis delas tiveram que fechar as portas. O aluguel, salário e despesas eram impossíveis de serem mantidos sem a mesma renda entrando. Foi um efeito dominó. É impossível medir com precisão a quantidade de pessoas demitidas e empresas fechando nos últimos 365 dias. Vidas foram afetadas e famílias sofreram.

      Mas, retomando, somos brasileiros e não desistimos nunca. Na tentativa de manter a rotina do trabalho e a mesma produtividade, muitas empresas começaram com um regime misto de presencial/home office, e eventualmente mais empresas ainda migraram 100% para o home office. Inclusive, é da minha casa que escrevo este texto. A Evartel também foi afetada pela nova realidade: abrimos as portas no meio da pandemia.

      Focando no novo cenário de home office, investimos todo o nosso tempo e recursos desenvolvendo a nossa plataforma de pontos virtuais, onde cada colaborador poderia fazer o registro do ponto pelo próprio celular, fornecendo a localização para um relatório consistente e verdadeiro. Desenvolvemos uma plataforma fantástica, aos menores custos do mercado. Ainda assim, lutamos para conseguir clientes.

      Nos últimos meses, tivemos incontáveis empresas pedindo orçamentos, gostando da nossa proposta e comunicando que colocariam tudo em “hold”, pois o fluxo de caixa não era mais o mesmo. Entendemos a situação. Todos fomos afetados.

      Com bastante tempo livre em função disso, usamos o tempo disponível dos últimos meses para desenvolver uma plataforma nova de gestão pensando no novo regime das empresas, seja ele híbrido ou 100% home office. Chegamos em um ponto espetacular e ao menor preço possível, porém é frustrante ver tantas empresas fechando as portas que não puderam usufruir da nossa ferramenta. Ao mesmo tempo que sentimos que estamos a um passo de decolar, a luz no túnel parece se afastar ao mesmo ritmo que vamos avançando em direção a ela.

      Este “artigo” nada mais é que um desabafo da frustrante nova realidade. O ser humano, geralmente, é uma espécie que necessita de contato com outros para manter a sanidade física e mental. Sendo obrigados a eliminar isso de nossas vidas, a rotina fica pesada e desgastante. Muitos procuram uma válvula de escape, cursos online, hobbies, jogos, qualquer forma de distração. Porém, eventualmente (ou diariamente) ficamos abatidos pela sucessão de más notícias.

      Como disse o artista japonês Hideaki Sorachi:

“The night is darkest just before dawn. But keep your eyes open; if you avert your eyes from the dark, you’ll be blind to the rays of a new day… So keep your eyes open, no matter how dark the night ahead may be.”

      Em português:

“A noite é mais escura um pouco antes do amanhecer. Mas mantenha os olhos abertos; se você desviar os olhos do escuro, ficará cego para os raios de um novo dia… Portanto, mantenha os olhos abertos, não importa o quão escura a noite possa ser.”

      Que não nos permitamos perder o nosso brilho. A nossa esperança. O nosso bom humor característico do povo brasileiro. A luz no fim do túnel é distante, mas alcançável. A pandemia vai acabar. A máscara voltará para a gaveta.

Luis Baccarini – Sócio Fundador da Evartel